Perto da estreia, Renato Cajá espera ajudar Goiás a fazer “nova história”

Foto: Rosiron Rodrigues/GEC
Anúncios

Com uma semana para se preparar, o Goiás espera iniciar sua recuperação na Série B na próxima sexta-feira, 18. A partir das 19h15, o time esmeraldino enfrentará o Guarani, pela sexta rodada da competição. O confronto deve marcar a estreia de Renato Cajá no clube goiano.

Apresentado pelo Verdão no dia 24 de abril, o meia ainda não atuou em 2018. Após sofrer com lesões na última temporada, aproveitou as últimas semanas para se condicionar, ficando em condições de participar de um jogo oficial.

“Com certeza, o primeiro jogo será muito difícil. Preciso estar dentro de campo para pegar ritmo e seguir evoluindo aos poucos. Ontem foi meu primeiro treino coletivo e foi importante para ter noção de como estou fisicamente e na parte da movimentação. Estou à disposição, para dar meu melhor e ajudar o Goiás, da forma que o Ney (Franco) precisar, a conseguir um resultado positivo”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Treinador analisa chegada ao Verdão e admite procura por reforços. Leia!

Ciente da responsabilidade de ajudar o Goiás a sair da situação ruim (um ponto em cinco rodadas, ocupando o 18º lugar) na tabela, Cajá vai se reencontrar com um velho adversário. E confia no histórico para ajudar a nova equipe. “Foram vários anos na Ponte e vários dérbis (clássicos contra o Guarani). Graças a Deus, venci mais do que perdi. Espero ganhar mais uma partida”.

Mudanças na postura
A equipe esmeraldina tem apresentado muitas dificuldades nas últimas partidas. Além de não conseguir propor o jogo e acabar sendo dominada pelos adversários em boa parte dos duelos, o abatimento dos atletas, principalmente após o time sair em desvantagem no placar, chama atenção. Renato Cajá aproveitou para tecer críticas às atuações, ressaltando que uma nova postura precisa ser adotada.
“Não é só o emocional. É a soma de parte física, psicológica, emocional, entre outras coisas. Todo mundo está vendo como a equipe está jogando e sabe as dificuldades que o Goiás está passando e o adversários tem aproveitado. Infelizmente, a parte tática está pífia e precisamos concentrar e organizar para que não tenham espaços. Temos de pegar o adversário mais em cima, não dar chance de nos dominarem. Como o Ney falou, temos de esquecer o que passou e começar uma nova história, para dar uma reviravolta para o Goiás”, avaliou o meia.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE