Coringa no ataque, Kayzer avalia estreia no Dragão de forma positiva

(Foto: Paulo Marcos/ACG)
Anúncios

Com o desfecho de sua transferência do Vasco para o Cruzeiro, Renato Kayzer finalmente foi apresentado de forma oficial no Atlético Goianiense. O atleta, que veio de empréstimo da equipe mineira, já até estreou pelo Dragão, entrando na segunda etapa do empate diante do Londrina, na última sexta (11).

O atacante, que treinava no clube goiano há mais de 30 dias, assumiu apreensão antes de entrar no gramado do Estádio Olímpico. Kayzer se mostrou satisfeito com os minutos jogados, embora tivesse priorizado os 3 pontos para o Atlético.

Atlético se posiciona em situação judicial envolvendo Tito!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Na verdade eu estava um pouco ansioso, o jogo estava truncado. Eu conversei com o preparador físico na segunda etapa, na hora do aquecimento, que me falou pra ficar com a cabeça fria para realizar minhas jogadas. Consegui jogar bem nos poucos minutos que estive em campo. Queríamos a vitória, mas o time do Londrina estava parando muito o jogo, satisfeitos com o empate”, revelou.

O tempo em que estava inapto para atuar com a camisa do Dragão foi difícil, de acordo com Renato. Um dos piores fatores, de acordo com o atleta, era assistir aos jogos do Dragão sem poder contribuir dentro de campo. Fora os aspectos ruins do período, o atacante aproveitou para se dedicar nos treinamentos da equipe.

Polivalência ofensiva
Kayzer foi destaque no início da temporada pelo Tupi, atuando pelos lados de campo. Com a camisa da equipe mineira foram 5 gols anotados em 11 partidas. Em sua estreia pelo Dragão, o atacante também foi designado para a mesma função. Mesmo colecionando bons jogos como ponta, o atleta afirmou poder atuar nas outras posições do ataque: centroavante e meia ofensivo.
“Desde quando comecei a jogar futebol, sempre joguei de 9, centralizado no ataque. Com o tempo fui me mudando pra ponta, jogando pela beirada. Também já atuei como meia central. Portanto, do meio para frente eu sou um coringa. Consigo jogar em todas as posições. Lógico que o professor irá ver onde irei atuar para dar o meu melhor”, revelou.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE