Goleiro do Vila Nova revela preocupação com possível paralisação das atividades

Foto: Comunicação VNFC
Anúncios

O Vila Nova retornou aos treinamentos há cerca de duas semanas visando a sequência da temporada 2020. No calendário colorado resta apenas a Série C nacional, já que a conclusão do Estadual tem sido considerada inviável por fatores alheios ao clube. O goleiro Fabrício falou do impasse na retomada do calendário do futebol goiano e brasileiro.

“Infelizmente, não sabemos o que vem pela frente. Nós trabalhamos a cada semana esperando uma nova decisão. Então, temos de aproveitar o dia a dia para melhorar e evoluir, para quando houver de fato a retomada do futebol, possamos estar preparados da melhor maneira possível. Sabemos que será difícil esse ‘novo início', mas tenho certeza que a equipe vai estar preparada”, declarou o atleta.

Mais do Tigrão:
-> Ídolo Guilherme recebeu homenagem
-> Técnico diz que pausa ajuda em preparação

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O goleiro também demonstrou preocupação com o aumento do número de casos de contaminação pelo Covid-19 no Estado de Goiás. De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) 23.192 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e 437 mortes provocadas pela nova doença.

No final da manhã desta segunda (29), o governador Ronaldo Caiado pediu apoio de prefeitos para a adoção do quarentena por 14 dias. Ele informou que deve publicar, ainda hoje, um decreto complementar para definir quais atividades devem parar. No entanto, apesar da orientação do governo, cada prefeito tem autonomia para decidir qual medida adotará no combate ao coronavírus.

“Infelizmente, o número de casos tem aumentado e como o comércio foi reaberto, a tendência era que isso ocorresse. Estamos há 15 dias treinando e se houver uma nova paralisação dos treinos, podemos perder esse tempo de trabalho e o planejamento feito pelos profissionais da comissão técnica”, afirmou Fabrício.

O Vila Nova informou que não se manifestará sobre uma possível paralisação dos treinamentos até que haja, de fato, a publicação de um novo decreto.

Acompanhe também nossas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube

Comentários

comentários

PUBLICIDADE