5.6 C
New York
sexta-feira, junho 25, 2021
Início Futebol Atlético Um mês sem futebol: relembre como estava o Goianão antes da paralisação

Um mês sem futebol: relembre como estava o Goianão antes da paralisação

O Campeonato Goiano completa nesta quarta-feira (15) um mês sem partidas. A suspensão do torneio foi anunciada pela Federação Goiana de Futebol (FGF) no dia 17 de março, mas a última rodada que teve bola rolando foi realizada nos dias 14 e 15 de março.

O Atlético liderava o Goianão e vinha numa ascendente e havia conquistado 13 dos últimos 15 pontos que disputou. O Dragão foi à paralisação como líder isolado, com 23 pontos. Para confirmar a soberania, duas rodadas antes da suspensão do Estadual, os rubro-negros golearam o até então líder Jaraguá por 5 a 0 no Olímpico e roubaram a ponta.

Mais do futebol goiano
Veja como ficou a tabela do Estadual
Pedro Canedo diz que retorno do Goianão seria aberração

O melhor ataque também era atleticano. Foram 23 gols em 10 partidas, uma média de 2.3 gols por partida. O Goiás, segunda equipe com maior número de gols, teve média de apenas 1.5 gol por jogo. O time mais econômico era o Crac. Com cinco gols em 10 confrontos, a média era de 0,5.

Na defesa, o Atlético também se destacava. A defesa rubro-negra foi vazada apenas três vezes, por Anápolis, Jaraguá e Grêmio Anápolis. Em duas delas, o time colocado em campo estava repleto de reservas. O Dragão também não sofreu mais de um gol em nenhuma partida.

Caçula sensação

O Jaraguá, por sua vez, era a sensação do campeonato. Nos primeiros 18 pontos disputados, foram 16 conquistados, dando a ponta ao Gavião da Serra. No returno, houve uma breve oscilação, com derrotas para Goianésia, culminando na demissão inesperada de Lucas Oliveira, e Atlético. Mesmo assim, os alvinegros se recuperaram e garantiram a classificação antecipada.

A equipe do Vale do São Patrício, que passou a ser comandada por Ariel Mamede, se recuperou vencendo o Vila Nova e buscou um empate heroico diante da Anapolina. Com 20 pontos, o Jaraguá ainda sonhava em terminar a fase de classificação na ponta.

Rivais oscilando

Goiás e Vila Nova não faziam um grande Goianão, mas executaram o mínimo suficiente para ir à paralisação no G-8. O Verdão, cujas expectativas eram mais altas, foi muito questionado. O trabalho do técnico Ney Franco foi, inclusive, colocado em xeque após o mau início no Estadual e a eliminação na Copa Sul-Americana.

O Esmeraldino perdeu apenas uma vez, e para o líder Atlético. A derrota, no entanto, foi um marcante 3 a 0. Por outro lado, houve muitos empates. Foram quatro. Nas cinco vitórias, faltou convencer o torcedor. Mesmo assim, os 19 pontos conquistados foram suficientes para garantir ao Goiás a classificação antecipada, após uma sofrida vitória por 2 a 1 sobre a Aparecidense.

O Vila Nova fez campanha tão irregular que chegou a flertar com o rebaixamento. O Tigre venceu apenas três dos 10 jogos que fez. Foram 12 pontos conquistados e a demissão do técnico Ariel Mamede, substituído por Bolívar. Os colorados balançaram as redes apenas seis vezes no Goianão. Em contrapartida, a equipe também sofreu apenas seis gols.

Sobe e desce

Goianésia, Crac, Aparecidense, Anápolis, Grêmio Anápolis, Goiânia e Iporá viveram um sobe e desce constante no Goianão. Todos esses clubes revezaram entre bons e maus momentos antes da paralisação. O Camaleão, por exemplo, começou muito mal, ficando até na lanterna, mas somou sete pontos seguidos e saltou para o G-8.

O Galo da Comarca também viveu entre a cruz e a espada. O Tricolor não chegou a entrar no Z-2, mas flertou com a posição. Contudo, uma vitória aqui e outra acolá garantiram uma posição na faixa de classificação às quartas. Na mesma cidade, o Grêmio Anápolis teve dificuldades para fazer um bom time no papel conquistar pontos. Entre tantos tropeços bobos, a Raposa ficou com 11 pontos, no limbo entre o rebaixamento e a esperança de classificação.

Surpresa em 2019, o Goiânia parecia fadado ao rebaixamento após um péssimo início. No entanto, a chegada de Finazzi ergueu o Galo Carijó. Os alvinegros conquistaram vitórias cruciais contra Vila Nova e Iporá, a última logo antes da paralisação, que garantiram ao clube um lugar fora da degola.

O Crac sofreu com a falta de uma casa. O Leão pôde atuar apenas uma vez em seu estádio. O verão chuvoso castigou o gramado do Genervino da Fonseca e inviabilizou quatro jogos que seriam realizados por lá. Mesmo assim, os alvicelestes foram bem, apesar de alguns tropeços inesperados, se estabilizaram no G-8. Repleto de expectativas, o Goianésia também teve momentos de baixa, mas fez campanha segura e estava prestes a carimbar vaga às quartas.

Na degola

O Iporá, penúltimo colocado quando o Goianão foi paralisado, nem sempre esteve por ali. Porém, sucessivas derrotas e a perda da tradicional eficiência no Ferreirão podem custar a vaga na elite ao Lobo Guará. A derrota para o Goiânia em casa foi sintomática a respeito do momento da equipe e também colocou o clube do oeste do estado no Z-2.

Quem sempre esteve por lá foi a Anapolina. Mergulhada em conflitos políticos e numa calamidade financeira, a Rubra sofreu muito. O elenco foi formado às vésperas do Goianão e ainda precisou ser reformulado após as mexidas na direção e no comando técnico. Essa foi a receita do desastre. Embora apresentasse evolução em campo, o quadro comandado por Artur Neto venceu apenas uma e muito possivelmente teria o rebaixamento decretado na rodada seguinte.

Rafael Tomazeti
Jornalista formado pela Universidade Federal de Goiás. Fã de esportes e apaixonado pelo estado de Goiás. Trabalhou na Rádio Universitária 870 AM, TV UFG, Rádio 730/Portal 730 e Jornal Diário do Estado.
Anúncio

Últimas

Em situações opostas na tabela, Vila e Goiás travam embate pela Série B

Um dos maiores clássicos do Brasil ganha novo capítulo nesta sexta-feira (25). A partir das 21h30, o Vila Nova recebe o Goiás...

Preparador físico retorna ao Vila Nova para integrar comissão permanente

O preparador físico Leonardo Bassotto vai retornar ao Vila Nova. Segundo informações do repórter Paulo Massad, o profissional chega ao Tigre nesta...

Arthur Gomes se mostra satisfeito com assistência e elogia fator coletivo do Atlético

Na última quarta-feira (23), o Atlético Goianiense derrotou o Fluminense por 1 a 0 no Estádio Antônio Accioly e deu sequência à...

Gustavo Alfaro dispara contra arbitragem e reafirma confiança na Seleção do Equador

O Equador novamente largou em vantagem contra o seu adversário pela Copa América, porém na segunda etapa caiu de produção e cedeu...

Ricardo Gareca enaltece reação do elenco e dedica resultado às vítimas de terremoto no Peru

O Peru largou atrás e foi buscar o empate diante do Equador, em um duelo de quatro gols no Estádio Olímpico, em...
Anúncio