Representante orgulhoso do Estado, Diogo Villarinho vai para as piscinas do Pan

(Foto: Satiro Sodre/SSPress)
Anúncios

Os Jogos Pan-Americanos de Lima estão na reta final. No penúltimo dia de provas, o goiano Diogo Villarinho entrará em ação mais uma vez. Natural de Goiânia, mora em Belo Horizonte e participará dos 1.500 metros, estilo livre. Na sua primeira prova na competição, disputada na quinta-feira, 08, terminou em 6º lugar nos 800 metros estilo livre.

“Competir pelo mundo representando nossas bandeiras é algo especial, bem bacana. Desde 2011, treino em Minas Gerais, no Minas Tênis Clube, que dá todo o apoio e suporte, mas procuro sempre representar nosso Estado da melhor forma possível. É um orgulho muito grande representar o Brasil e o Estado de Goiás”, revelou em entrevista ao Esporte Goiano.

Outros goianos no Pan 2019:
-> Catalano, Eduardo Carísio conquistou bronze com a Seleção de vôlei
-> Kamila Barbosa, de Goianésia, ficou perto da medalha
-> No tiro esportivo, Renato Portela acabou na 20ª posição
-> Estreante no Pan, Lais Nunes quer o pódio

A preparação é feita não só dentro das piscinas, como explica o nadador. Diogo Villarinho conta um pouco da rotina, que tem atividades duas vezes por dia (nas segundas, quartas e sextas) e em um período nas terças, quintas e sábados.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Os treinos têm duração média de duas horas e meia. Por cerca de uma hora, também fazemos parte física fora da água três vezes por semana. Sempre quando vamos nadar, seja de manhã ou à tarde, fazemos um circuito cerca de meia hora antes, que é uma ativação para nadar. O treino, em geral, tirando a musculação, dura em média três horas. No total, temos cerca de seis ou até sete horas por dia. Além do mais, o atleta se prepara 24 horas por dia. Tudo que estamos fazendo, conta. Todo foco, alimentação e descanso faz parte do desempenho final, que é a competição. Você tem de estar sempre ligado em tudo e prestar atenção em todos os detalhes, porque eles fazem muita diferença, principalmente, em alto nível”

Carreira, títulos e o grande objetivo

As piscinas sempre estiveram presente na vida de Diogo Villarinho. Desde os dois anos, quando iniciou as aulas de natação e passando pelas primeiras competições aos 6 anos, defendendo o Zitti Clube. Ainda pela equipe goiana, conquistou bons resultados, inclusive a classificação para o Sulamericano Juvenil de 2010. No ano seguinte, aos 16 anos, saiu de casa para defender o Minas Tênis Clube, um dos principais clubes desportivos do país.

“Já fui campeão nacional nas águas abertas, medalhista nas piscinas em 400m, 800m e 1.500m. Também tive bons desempenhos nos Jogos Sulamericanos de Praia, nas Maratonas nas Copas do Mundo, por exemplo. E teve também o vice no Mundial de Kazan 2015, no revezamento 5km por equipe, que foi até então meu resultado mais especial. Tenho como grande sonho a conquista da medalha olímpica”.

Mundial

O goiano participou, recentemente do Mundial de Gwangju, na Coréia do Sul. As duas provas que competiu são levadas como importantes experiências para a sequência da carreira.

“Foi uma competição bem legal, onde pude fazer história, competindo em dois esportes. Fui o primeiro brasileiro a competir na maratona e na piscina. Foi bem legal. Uma experiência sensacional. A maratona começou com uma prova onde não fui muito bem, que foi a dos 10 km. Não tive o melhor resultado que eu podia. Fiquei um pouco chateado, porque não foi aquilo que eu tinha treinado. Mas aí, veio o revezamento e, ao lado de meus companheiros, fizemos uma grande prova, a da nossas vidas. Conseguimos o 4º lugar, que foi bem legal. Na história da prova, nesse modelo de quatro pessoas nadando, foi o melhor resultado do Brasil. Todos ficaram muito felizes com o resultado e com a nossa superação”

“Na piscina, pude fazer a quarta melhor marca da minha vida. Eu queria ter nadado um pouco melhor. Foi a primeira vez que nadei de manhã numa eliminatória e foi uma experiência muito diferente. Não tinha muita noção de como seria o tempo competindo durante a manhã. Não tenho uma referência anterior desse tempo. Por isso, considero como uma boa marca, apesar de que esperava um pouco mais, pelo que eu vinha treinando. Acho que eu poderia ter feito um tempo um pouco melhor. Mas a avaliação dessa prova é boa. Não foi excelente, mas foi boa”

Ficha técnica:
Nome completo: Diogo Andrade Villarinho (Diogo Villarinho)
Data de nascimento: 11/03/1994
Naturalidade: Goiânia

*Por Vitor Monteiro e Breno Modesto

Comentários

comentários

PUBLICIDADE