Wellington Reis lamenta posição do Vila na tabela, mas diz: “O que importa é o mata-mata”

Foto: Vitor Monteiro/Esporte Goiano
Anúncios

Às vésperas da última rodada da primeira fase do Campeonato Goiano, o volante Wellington Reis disse não saber ainda se o técnico Eduardo Baptista poupará alguns jogadores do Vila Nova diante do Goianésia, na próxima quarta (20). Se puder escolher, o atleta diz preferir atuar na cidade do Vale do São Patrício.

Leia mais notícias do Colorado!

“Ainda não estou sabendo se o professor (Eduardo Baptista) vai poupar jogadores. O que eu sei é que temos de ir lá e conseguir o resultado positivo. Falando por mim, não quero ser poupado, mas tenho de entender o planejamento do treinador e da comissão para o mata-mata”, comenta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao ser questionado sobre a campanha do Tigre no Goianão, que é aquém dos rivais, Wellington Reis mostrou uma certa insatisfação, mas disse que o mata-mata é o que importa para o clube.

“Com o plantel que temos, com nomes como Danilo e Alan Mineiro, e do próprio Eduardo Baptista, que são nomes de peso, nos cobramos muito por uma melhor posição na tabela de classificação. Pelo peso da camisa e pela grandeza, o Vila (Nova) tem de estar, se não em primeiro, no meio dos dois (Atlético e Goiás). Infelizmente, o máximo que conseguiremos alcançar é a terceira colocação, mas, independentemente da classificação na fase final, o que importa é o mata-mata”, finalizou.

O Vila Nova volta a campo nesta quarta-feira (20), quando fecha sua participação na primeira fase do Goianão diante do Goianésia, às 21h30, no Estádio Valdeir José de Oliveira.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE