Maguinho vê Vila mais maduro e cita necessidade de pontuar fora para se manter no G-4

Foto: Douglas Monteiro/Vila Nova FC
Anúncios

Em 2018, o Vila Nova tem repetido o que fez no ano passado. O Tigre briga pelo acesso e é um dos times que está sempre frequentando o G-4. Em 2017, contudo, o campeonato terminou frustrando os sonhos colorados após a não conquista da vaga na elite. Neste ano, o lateral Maguinho, há três temporadas no OBA, vê um Tigre mais maduro e equilibrado.

De acordo com o atleta, a experiência do passado tem servido para evitar que os mesmos erros sejam cometidos. Ele cita, por exemplo, a necessidade de estar sempre somando pontos, mesmo que eles venham por meio de empates.

– A gente aprendeu bastante com os erros. No ano passado, tivemos uma sequência bem parecida com essa de sete jogos sem vencer. Este ano já conseguimos ter a maturidade de assimilar essa situação. O que devemos ter em mente é sempre estar pontuando. Às vezes há jogos que não dá para ganhar, e não podemos nos expor e perder. Um ponto vai fazer diferença. Talvez na última rodada (de 2017), se tivéssemos dois empates a mais, estaríamos brigando (pelo acesso) no jogo contra o Londrina – destacou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mais: Pasinato pede Tigre eficiente para deixar Paysandu pressionado

Nesta quinta-feira (12), o Vila encara o Paysandu fora de casa. Se antes o Papão brigava pelo G-4, agora vive um momento de pressão, com seis partidas sem vitória. Apesar disso, Maguinho sabe que os goianos terão dificuldades e, portanto, valoriza qualquer ponto conquistado no Pará.

– São detalhes com os quais devemos ter muito cuidado. Sabemos que um ponto, principalmente nesses jogos fora de casa, podem fazer muita diferença. Vamos ter a oportunidade diante do Paysandu. Estamos indo para lá por um ponto e não podemos perdê-lo. Temos que ter equilíbrio e maturidade de saber que devemos sempre pontuar para, na parte final, conquistar nosso objetivo – argumentou.

Caldeirão

O jogo contra o time bicolor será no acanhado estádio da Curuzu. O local costuma receber bons públicos e uma torcida empolgada. Embora o Paysandu esteja mal na Série B, Maguinho espera muita pressão. Segundo ele, no entanto, o Vila Nova tem que encarar o adversário de igual para igual.

– Só de ser um jogo na Curuzu, é muito complicado. Tem dimensões bem parecidas aqui com o OBA. A torcida vai pressionar bastante, tanto nós quanto eles, pelo fato de terem resultados ruins nas últimas rodadas. Mas se quisermos brigar na ponta da tabela, temos que jogar de igual para igual com qualquer adversário dentro ou fora de casa. Tenho certeza que vamos fazer um grande jogo e pontuar. Se pontuarmos lá, com certeza estaremos entre os quatro ao fim da rodada – disse.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE