Lucas Rocha quer apagar rótulo de “defesa frágil” do Atlético

Foto: Paulo Marcos/Atlético CG
Anúncios

Remanescente da temporada de 2018, o zagueiro Lucas Rocha, de 23 anos, quer afastar do Atlético o rótulo de defesa frágil após ter sido uma das mais vazadas na Série B de 2018, temporada na qual atuou em 31 partidas, sendo 28 como titular. Segundo ele, os atletas precisam levantar a cabeça e trabalhar para corrigir as falhas da temporada anterior.

Mais maduro, Moraes vislumbra titularidade em 2019!

“Temos de aprender com os nossos erros. Tomamos muitos gols na temporada passada e, por pouco, não conseguimos o acesso. A gente fica triste com isso, mas temos de levantar a cabeça e esquecer, temos de trabalhar mais e tentar corrigir isso. Acredito que esse ano será melhor, pois temos uma proteção de zaga mais forte. Não tirando a culpa de nós lá de trás, mas a gente fica chateado, pois as pessoas falaram muitas coisas de nós lá da defesa. Com energias renovadas, acredito que esse ano tem tudo para ser melhor”, afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar do alto número de gols sofridos (51 em 38 jogos) na Série B, o zagueiro diz ficar feliz com seu rendimento individual e quer continuar evoluindo em 2019.

“Vou continuar com a mesma seriedade, o mesmo caráter e a mesma dedicação nos treinos. Apesar de termos sido uma das defesas mais vazadas da Série B, fiquei satisfeito com o meu rendimento individual. Acho que dá pra tirar muitas coisas boas. Vou treinar cada vez mais para continuar evoluindo. Apesar da pouca idade, sei que minha responsabilidade é grande e estou muito confiante para este ano. Sabemos que, às vezes, as coisas acontecem e também não acontecem. Temos de ter paciência, foco e continuar trabalhando para reverter esse quadro para que as pessoas vejam que não somos frágeis”, disse.

Outro assunto debatido durante a coletiva de Lucas Rocha foi o da renovação de seu empréstimo ao Dragão junto ao Boavista/RJ.

“Fico feliz pela confiança da diretoria. O pessoal sabe do meu esforço e do meu caráter. Acho que isso ajudou bastante. 2018 foi um ano difícil para a defesa, mas, só pela confiança da diretoria em mim, fico muito feliz. E também optei por ficar no Atlético por já conhecer a estrutura, por saber que cumprem com o que prometem. Espero dar sequência e que este ano seja muito melhor do que foi no ano passado. Mesmo não tendo conseguido o acesso, saio satisfeito da temporada que fiz no ano passado. Agora, tenho de trabalhar, me dedicar e que isso sirva de lição para esta temporada”, finalizou.

O Atlético estreia no Campeonato Goiano no próximo dia 20, quando recebe o Goianésia, às 17h, no Estádio Antônio Accioly.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE