Mundial de Basquete: Em sua 5ª Copa do Mundo, Leandrinho quer título para servir de legado à nova geração

92
Foto: FIBA
Anúncio

Na madrugada deste domingo (1), o Brasil faz sua estreia na Copa do Mundo de Basquete, que está sendo disputada na China. Às 5h, em Nanjing, os comandados do técnico Aleksandar Petrović enfrentarão a Nova Zelândia. Este será o quinto mundial do ala-armador Leandrinho, de 36 anos. Em entrevista ao Esporte Goiano, confessa que deseja conquistar o título do torneio para servir como um legado para a próxima geração.

“Não é uma competição qualquer. É um mundial. Nossa geração não trouxe um título importante, mas nós estamos trabalhando e pensando positivo, para que isso possa acontecer. Uma nova geração está surgindo e o que a gente quer é fazer uma grande preparação para que essa nova geração venha a tomar conta do recado, a tomar conta de vestir a camisa da seleção brasileira. O intuito é esse. É lógico que o objetivo é, sim, fazer uma grande campanha e, se Deus quiser, isso vai acontecer”, revela.

Mais da Seleção de basquete:
-> Didi confia em liderança do grupo para evitar EUA
-> Período de treinos em solo goiano é valorizado por Bruno Caboclo
-> Com experiência de NBA, Felício vive sonho na Seleção

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Em todas as outras quatro edições de Mundial que disputou, o camisa 19 sempre teve média acima dos 20 pontos. De acordo com ele, a pontuação é importantes, mas o principal é o resultado.

“Aqui (na seleção), são selecionados 12 jogadores. Acredito que esse jogadores são competentes para ter uma média (de pontos) boa e para serem o principal jogador da seleção brasileira. Todos nós somos principais. Estamos aqui como um grupo, tendo como o intuito fazer uma grande campanha, no intuito de chegar a algum lugar. O legado que nós mais velhos queremos deixar é um bom campeonato. Independente da pontuação, o que importa mesmo é o resultado. É nisso que vamos em busca. Se acontecer de ter média alta, ótimo. Se não acontecer, o resultado é mais importante para todos nós”, comenta.

Antetokounmpo

Na próxima terça-feira (3), em jogo válido já pela segunda rodada da competição, o Brasil enfrentará a Grêcia, do ala-pivô Giannis Antetokounmpo, do Milwaukee Bucks, eleito o MVP da última edição da NBA. Segundo Leandrinho, Petrović deverá fazer um planejamento para que o grego seja “parado”.

“É mérito dele ser vice-campeão (da conferência leste) da NBA e ser considerado MVP. Mas o jogo é jogado. Nós vamos para uma competição totalmente diferente da NBA. Eu já joguei 15 temporadas, sei como é jogar uma Copa do Mundo. Acho que essa será a segunda Copa do Mundo do (Giannis) Antetokounmpo, mas numa outra situação. Hoje, ele é um ícone muito mais importante do que ele foi no passado. Me lembro que na última Copa do Mundo, ele nem jogava. Mas tenho certeza de que ele vai jogar muitos minutos. Mas é o que eu falei. O jogo é jogado. É um torneio FIBA, totalmente diferente, com regras diferentes. Então, vai depender de como ele vai lidar com todos esse obstáculos que, querendo ou não, acabam atrapalhando os jogadores da NBA. Vamos fazer um planejamento para parar ele, mas, é logico, sabemos que é um grande jogador”, finalizou.

anúncio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here