Gilvan lamenta temporada “nota cinco” e se arrepende de ida à Europa

Foto: Paulo Marcos/Atlético CG
Anúncios

O torcedor do Atlético se acostumou a ver um zagueiro forte, rápido e técnico na Série A de 2017. A diretoria se esforçou para mantê-lo, mas, seguindo um sonho, Gilvan se transferiu para o Cluj, da Romênia. Na Europa foram poucas atuações, o que fez com que o defensor retornasse ao Dragão. O retorno, entretanto, não foi da maneira que ele esperava.

Antes titular absoluto, Gilvan jogou pouco e jamais conseguiu retomar a condição de titular absoluto da camisa rubro-negra. Nesta sexta-feira (16), o zagueiro terá mais uma chance de mostrar seu velho futebol, atuando ao lado de Oliveira contra o São Bento. Apesar disso, o defensor lamenta ter perdido nível de atuação nesta temporada.

– Este ano foi complicado para mim. De 0 a 10, foi um ano nota cinco para mim. Joguei poucos jogos. No ano passado, atuei em 50 partidas e, em 2018, foram 13. Em alguns senti um pouco de dor. Sou realista e sei que fui abaixo este ano em vista da última temporada. Estou trabalhando forte e venho me dedicando para sempre dar meu melhor – avalia o zagueiro.

Na hora errada
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na avaliação de Gilvan, a transferência para a Europa no início deste ano foi um erro. Embora o defensor sempre deixasse claro que atuar no Velho Continente era um sonho, foi um pesadelo que ele trouxe das terras romenas. Hoje, Gilvan admite que a ida ao Cluj foi prejudicial à sua carreira e afirma que reconsideraria a escolha.

– Eu tinha o sonho de jogar na Europa. Achei que era o momento, mas não foi. Se fosse hoje, eu esperaria estar um pouco mais maduro. Você começar um ano jogando é diferente. Fui jogar só depois da metade do ano. Esta minha ida para a Europa atrapalhou muito a minha carreira. Mas espero que no ano que vem eu faça uma grande temporada pelo Atlético e dê muita alegria à torcida – destaca.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE