Gilberto Pereira dá detalhes da campanha perfeita do Goiatuba na Terceira Divisão

(Foto: Wendell Rezende/AOItabaiana)
Anúncios

O Campeonato Goiano de 1992 está de volta. Depois de 10 temporadas no ostracismo, o Goiatuba voltou com tudo às suas atividades. Para coroar o retorno, um título. Neste domingo (01), o Azulão venceu o Inhumas por 3 a 1 na final em jogo único da Terceira Divisão do Campeonato Goiano. Com isso, se sagrou campeão.

Mais do Goiatuba
-> Veja como foi o título

Na tarde desta segunda (02), o técnico Gilberto Pereira falou com exclusividade ao Esporte Goiano. O experiente treinador, ex-Atlético, falou de forma minuciosa sobre a volta do Goiatuba. Para Gilberto, esta foi uma oportunidade da cidade ser feliz com futebol mais uma vez, depois de anos. Tanto que a final contou com aproximadamente 7 mil torcedores diante do Inhumas no Estádio Divino Garcia Rosa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Era uma equipe adormecida por 10 anos. É um time tradicional que estava esquecido. Mas agora tem tudo para ir e ficar na elite. Tem torcedor, um bom estádio, uma cidade que gosta e respira futebol. A alegria voltou à cidade. Ontem (domingo) tinha quase 7 mil pessoas, uma média de 2600 por jogo. É de grande importância esse acesso e título. É só um passo, pois ainda falta voltar a confiança na cidade, pois passaram muitas pessoas que não ajudaram no ressurgimento, pelo contrário. Um trabalho pés no chão, de recomeçar tudo, mas não tenha dúvida que a cidade abraçou a causa e a tendência é só crescer”, opinou.

Importância para a carreira

Treinador experiente, Gilberto Pereira já trabalhou por anos com Adson Batista no Atlético. Foi treinador do rubro-negro goiano em algumas oportunidades. Além disso, treinou outras equipes importantes do Brasil, como a Chapecoense. Depois de anos de carreira, Gilberto ainda valoriza as conquistas. E foi com chave de ouro. 11 triunfos em 11 partidas, 100% de aproveitamento, com 38 gols feitos e apenas 6 sofridos.

“Eu valorizo tudo. E para mim é sempre um recomeço. Então é prazeroso demais, quem não quer ser campeão. E um diferencial. São 11 vitórias seguidas, sem nenhum empate, com 100% de aproveitamento”, comemorou.

Como surgiu a proposta?

Adriano Pimenta, fazendo jus a sua posição, fez o meio-campo entre Goiatuba e Gilberto Pereira. O ex-meia do Atlético, hoje veterano, fez parte do plantel do Azulão na conquista e incentivou o treinador a assumir esse projeto de volta do Goiatuba aos altos patamares do futebol goiano. O planejamento do Azulão encantou o comandante.

“É um assunto que já vinha sido trabalhado há muito tempo. Em Goiatuba tem um jogador, que é o Adriano Pimenta, que mora lá. E no começou de ano, ele começou a falar neste projeto. Falaram que tinham vontade que eu participasse disso e as coisas foram se concretizaram aos poucos. Não era nem para ser esse ano, a volta seria na próxima temporada. Eu estava para ir à 2ª divisão, mas quando vi o projeto do Goiatuba, não pensei duas vezes. É melhor do que muitos da 2ª ou até da elite”, revelou Gilberto Pereira.

Receita do sucesso

Um bom elenco passa por uma boa montagem. E isso fez a diferença para a conquista de forma perfeita, 100%, do Goiatuba, como pensa o treinador que levou o clube ao título. O paulista foi até humilde na hora de valorizar a sua parcela de responsabilidade para o excelente retorno do Azulão ao futebol goiano.

“Foi um trabalho muito sério em termos de junção de atletas, características. Buscamos fazer treinamentos com antecedência. Mas é lógico que a maior parcela do sucesso é o interesse e o empenho dos jogadores. Todo dia era um trabalho árduo de fazer cada jogo uma história. Nós (comissão técnica) tivemos a contribuição também, assim como a diretoria que deu o respaldo. Mas é claro que quando o jogador abraça a causa, tem o poder de fazer a diferença”, analisou.

O artilheiro do Goiatuba

O centroavante João Pedro, ex-Atlético, de 21 anos, foi o artilheiro do Campeonato Goiano da 3ª divisão. E o atacante teve início promissor. Foi destaque em um Goianão pelo rubro-negro e chegou até a ser emprestado ao Corinthians, ao lado do companheiro Guilherme Borges. Depois de alguns problemas, João fez nove gols em novos jogos pelo Azulão na disputa e se sagrou o artilheiro da Terceirona. Velho conhecido de Gilberto, o treinador analisou a presença da joia em seu elenco.

“O João Pedro eu conheço bem. Inclusive, eu o levei ao Atlético quando entrou na base. Teve alguns problemas pois foi muito mal administrado. Também não aproveitou as oportunidades que teve. Quando foi oferecido ao Goiatuba, e logicamente eu já estava monitorando. Ele (João Pedro) recebeu a oportunidade de ir para 2ª divisão, mas quando soube que eu estava a frente do Goiatuba, entendeu que teria chance com alguém que conhece. É um atleta em fase de amadurecimento e tem muito a crescer ainda, principalmente com mais aplicação, pois qualidade tem”

Próximos planos de Gilberto Pereira

Agora, após a conquista, vem o descanso. Ou nem tanto. Antes de decidir seu futuro, sobre continuar ou não no clube, Gilberto Pereira vai aos estudos. O treinador vai terminar a Licença A para treinadores na CBF, a partir do próximo dia 9, a última antes da Pro, a principal oferecida pela entidade máxima do futebol brasileiro.

“Terminou hoje meu contrato com o Goiatuba. No dia 9, estou indo para a CBF para fazer um curso. Algumas coisas já apareceram, mas eu tenho analisado. Preciso fazer o curso. E se não tiver algo que vale a pena, vou aguardar um pouco mais. Estou tranquilo. Vou fazer essa licença A (curso da CBF) em Teresópolis e da forma que eu for direcionado, estarei sempre pronto”, decretou Gilberto.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE