Frontini afirma que ainda pode jogar uma Série B: “me vejo em condições sim”

(Foto: Comunicação/Vila Nova)
Anúncios

Aos 38 anos de idade, Frontini, ídolo do Vila Nova, ainda não pensa em aposentadoria. Na última semana, o centroavante somou mais um título em sua vasta sala de troféus. Com o Jaraguá, conseguiu o acesso e título inédito do clube na Divisão de Acesso. Em entrevista exclusiva ao Esporte Goiano, o argentino mais brasileiro e goiano que existe falou sobre próximos passos na carreira, possível volta ao Vila Nova e detalhou o projeto no Jaraguá.

Mais do Tigrão
-> Itamar Schülle pode ser o novo treinador
-> Jussani praticamente crava Vila na Série B

“Idade é só um número”

Já na parte final da carreira, o atacante argentino não cansa de fazer gols. Em apenas cinco partidas pelo Jaraguá, na Divisão de Acesso, anotou quatro tentos – inclusive o do título. Este foi o quarto time goiano pelo qual Frontini passou. Anteriormente, defendeu Goiás, Vila Nova e CRAC de Catalão. Para o jogador, mais esse troféu na carreira significa dar fim às críticas por conta da idade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A importância (do título para a carreira) é dar continuidade. O pessoal questiona muito a idade, por mais que você seja profissional, se cuide e treine. E quando não se faz um bom campeonato, tudo é mais contestado. De vez em quando é bom ganhar algumas coisas para mostrar que estou bem, que a idade é só um número”, revelou o artilheiro de 38 anos.

Aposentadoria? Nem pensar!

Ao Esporte Goiano, o experiente atacante revelou que pretende seguir no futebol após o término da trajetória dentro das quatro linhas. Porém, não revelou a função. O importante para o atleta é, no momento, continuar e seguir fazendo gols nos gramados pelo Brasil afora. O camisa 9 confirmou que continuará jogando pelo menos até o ano que vem.

“Já sei que vou jogar ano que vem. Eu tive até proposta para jogar esse ano ainda, mas acho que é hora de descansar um pouco. Isso com o objetivo pra voltar bem no ano que vem. Ainda não sei onde vou atuar, a prioridade é conversar com minha esposa e ver o que a gente vai decidir. Está chegando a hora de parar, então precisamos de um lugar fixo para morar”, afirmou o centroavante, que deu a entender que seguirá morando por aqui.

Torcida de Frontini para o Tigre não cair

Não é segredo para ninguém o amor, recíproco, entre Frontini, torcida do Vila Nova e o clube em si. Com o Tigre, o atacante talvez tenha vivido os momentos mais mágicos de sua carreira, que contou com passagens por outros grandes clubes brasileiros, como o Santos. No colorado, o argentino venceu a Série C de 2015, sendo o artilheiro do clube na competição. Ao todo, marcou 18 gols em 56 jogos pelo Vila, em dois anos.

Por toda a identificação com o Tigrão, Frontini revelou que uma das intenções na continuação da sua carreira é voltar ao Vila, de preferência na Série B. O centroavante tem acompanhando os jogos do colorado goiano na 2ª divisão e torce pela manutenção da equipe. No Tigre, Frontini deixou um amigo especial – o hoje diretor de futebol, Hugo Jorge Bravo.

“Penso em continuar jogando e, até porque não, voltar a atuar pelo Vila. É uma grande equipe. Nesse momento estou até torcendo muito para o time permanecer na Série B, até por um grande amigo que está lá, o Hugo (Jorge Bravo, diretor de futebol). Ele conhece de futebol e tem grandes jogadores no Vila. Estou me preparando para exercer outras funções no futebol, mas não quero misturar as coisas. Meu papel hoje é de jogador”, opinou.

Volta ao Vila

Não é difícil imaginar Frontini encerrando a carreira no Vila Nova. Nas redes sociais, é comum identificarmos manifestações de que o argentino foi o último grande centroavante do clube. Porém, o atacante fez questão de refutar essa tese e elogiou os atuais “homens-gol” do Tigre, Gustavo Henrique e Bruno Mezenga, por exemplo. Ademais, para Frontini, ainda é possível disputar uma Série B na carreira e porque não no Vila Nova.

“Mas passaram grandes jogadores depois de mim no Vila. As vezes isso acontece no futebol, de ir bem em um clube e em outros não. Agora mesmo tem dois grandes camisa 9 (Gustavo Henrique e Bruno Mezenga). Mas me vejo em condição sim (de jogar uma Série B). Me cuido muito, tanto que na última Série B que joguei, fiz gols, assim como na Série C e estaduais. O importante é se cuidar. Não pôde acontecer nesse ano, quem sabe mais pra frente”, cravou Frontini.
E você, torcedor do Vila, aprovaria uma possível volta de “Frontigol” ao Tigre? Deixe seu palpite nos comentários ou nas nossas redes sociais!

Comentários

comentários

PUBLICIDADE