Crise financeira nos clubes é oportunidade de mudança no modelo de gestão, aponta especialista

Arte: Ildeu Iussef/EG; Foto: Acervo pessoal do Entrevistado
Anúncios

Devido a pandemia do coronavírus, há pouco mais de dois meses os campeonatos de futebol foram suspensos e isso trouxe impactos a renda dos clubes que sofrem com a perda de patrocinadores, a inadimplência nos programas de sócio-torcedor e com a incerteza da retomada da temporada.

Para entender melhor o cenário da gestão dessa crise nos times, o Esporte Goiano entrou em contato com o Professor Israel Teoldo que é PhD em Ciências do Esporte pela Brunel University London, Doutor em Ciências do Esporte pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, Mestre em Treinamento Esportivo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e graduado em Educação Física pela Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Mais Entrevistas Especiais:
Confira a entrevista com o Dr. Helio Fádel sobre os cuidado com a saúde mental dos atletas

Fisiologista aponta preocupação com retorno imediato das atividades nos clubes
O uso das redes sociais pelos times de futebol durante a pandemia do coronavírus

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atualmente, Israel Teoldo é professor adjunto da UFV, coordenador geral do Curso de Especialização em Futebol e coordenador do Núcleo de Pesquisa e Estudos em Futebol (NUPEF) na Universidade. Também é consultor para o projeto de elaboração do Curso de Treinadores e professor do Curso de Formação de Treinadores na Escola Brasileira de Futebol da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e instrutor do Workshop de Especialistas da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

A crise causada pelo coronavírus no futebol

Para entendermos melhor o momento atual que os clubes estão passando: “é preciso compreender o fenômeno de forma sistêmica, porque uma situação acaba impactando a outra. Então, toca tudo: a parte técnica, de sócio-torcedores, de patrocinadores, de calendário e isso tudo, com certeza, vai sofrer modificações em função do momento que estamos vivendo”, afirma o especialista.

De acordo com uma projeção de consultoria, realizada pela KPMG, o prejuízo do novo coronavírus nas cinco principais ligas nacionais de futebol da Europa (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França) podem ter um impacto do equivalente a R$ 20 bilhões de reais se os campeonatos não puderem ser retomados. Portanto, esse cenário de crise financeira nos clubes não é uma exclusividade do futebol brasileiro.

“Eu penso que, de uma forma geral, haverá um encolhimento do mercado mundial, especialmente no esporte, que não é uma atividade essencialmente vital das pessoas. Portanto, com a retração da economia, o dinheiro passa a ser canalizado para áreas vitais. E, sem dúvida nenhuma, o esporte sofrerá com isso em escala global. Há uma diferença dessa dificuldade econômica que estamos vivendo para a crise de 2008, pois em 2008 as pessoas não tinham dinheiro. Nesse momento, o que vemos é que há uma contingência financeira, mas ela pode ser ‘tranquilamente' restabelecida a depender do tempo que durar o controle dessa pandemia. Claro, em comparação com a crise financeira de 2008”, aponta.

Os impactos no mundo do futebol

Diante desse cenário financeiro, surge um questionamento acerca dos impactos no mundo do futebol. Segundo, Israel Teoldo haverá impactos esportivos e sociais.

 

Oportunidades em tempo de crise

Para o especialista, o momento que estamos vivendo pode ser de transformação nos modelos de gestão praticado em boa parte dos clubes brasileiros.

Como exemplos da boa gestão de futebol no Brasil, conforme Israel Teoldo podem ser citados dois clubes: Athlético Paranaense e Flamengo que nos últimos anos conseguiram transferir o sucesso da gestão fora das quatro linhas para dentro de campo.

Além disso, o profissional fez alguns apontamentos no tocante à relação dos clubes com os torcedores no enfrentamento desse cenário de crise econômica.

 

Acompanhe-nos por aqui e pelas nossas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube

Comentários

comentários

PUBLICIDADE