Contra penúltimo colocado, Vila Nova tenta escapar de “armadilhas” da Série B

Foto: Douglas Monteiro/Vila Nova FC
Anúncios

Em 16º lugar com 10 pontos ganhos, o Vila Nova está à beira da zona de rebaixamento da Série B. O time colorado vem de uma troca de treinador e perdeu um clássico atuando mal na última rodada. Num momento assim, nada melhor que pegar o penúltimo colocado, certo? Não na opinião do novo comandante.

Para Marcelo Cabo, que estreia como técnico do Tigre neste sábado (20), contra o América-MG, o duelo não tem nada de fácil. Durante a semana, o treinador tem alertado os atletas para as armadilhas da Série B, que costuma prezar por um grande equilíbrio, e cobrado concentração do grupo.

– Não dá para escolher adversário na Série B. O último pode ganhar do primeiro. De quatro times que estavam no G-4, dois perderam na última rodada. É uma competição muito democrática. A gente não pode escolher. O América-MG foi formatado para buscar o título, mas a história da Série B leva a isso. Você tem que estar preparado para as armadilhas que a Série B te proporciona. Você precisa estar sempre atento e encarar o jogo como se fosse o último – afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mais do confronto:
Confira detalhes da venda de ingressos
Coelho também irá estrear treinador no sábado
Vila terá três mudanças para o jogo

Hoje, o Vila está a sete pontos do G-4, principal sonho do clube na temporada. Uma vitória na estreia de Cabo reacenderia as centelhas de fé no acesso, que o treinador já deixou bem claro ser seu desejo mais forte no OBA.

– Eu não aceitaria um convite do Vila se não tivesse a convicção de que dá para subir. Penso grande, alto. Já começo a pensar no Vila na Série A em 2020. Não é fácil, a gente vai ter muito trabalho. Mas quando eu cheguei ao Atlético em 2016, o grupo tinha acabado de ser eliminado no Estadual e fomos campeões. No CSA, o time vinha da Série C – destacou.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE