‘Apaixonado’ pela Série B, Marcelo Cabo chega ao Vila mirando terceiro acesso

Foto: Vitor Monteiro/Esporte Goiano
Anúncios

Por quase 30 minutos, Marcelo Cabo respondeu as perguntas da imprensa em sua apresentação oficial como novo técnico do Vila Nova. Ele falou sobre reforços, sobre filosofia de jogo, a felicidade de voltar a Goiânia, mas, principalmente, sobre acesso. O comandante foi direto e enérgico ao afirmar várias vezes que veio ao Tigrão para brigar pela sonhada Série A.

– Eu não aceitaria um convite do Vila se não tivesse a convicção de que dá para subir. Penso grande, penso alto. Já começo a pensar no Vila na Série A em 2020. Não é fácil. A gente vai ter muito trabalho. Mas quando eu cheguei ao Atlético, em 2016, o grupo tinha acabado de ser eliminado no Estadual e fomos campeões. No CSA, o time vinha da Série C e fomos vice-campeões – lembra Cabo.

Mais do Tigrão
Em sua estreia, Cabo terá desfalques nas duas laterais

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O novo treinador é um profundo conhecedor da Série B. Além do título de 2016 pelo Dragão e do vice-campeonato em 2018 com o CSA, Marcelo Cabo já dirigiu Ceará, Figueirense e Guarani na Segundona. O perfil era o que a diretoria do Vila procurava, e o novo treinador apresenta de cara este trunfo.

– Na terça à noite, sexta à noite e no sábado eu não faço compromisso com ninguém. Eu assisto aos jogos. Sou apaixonado pela Série B. Vi uns quatro ou cinco jogos do Vila, acompanhei bem o plantel. O fato de eu ter trabalhado em Goiânia faz a gente se apegar. Acompanhei o Estadual, acompanhei a Copa do Brasil e a Série B. Já fiz reuniões e faremos mais algumas para conversar sobre o elenco e o planejamento – comenta.

Legado dos antecessores

Marcelo Cabo é o terceiro treinador do Vila Nova em 2019. Antes dele, Umberto Louzer e Eduardo Baptista já comandaram o clube. O novo técnico garante que não vai se desfazer dos trabalhos dos antecessores e quer aproveitar o legado que cada um deixou no Onésio Brasileiro Alvarenga.

– A gente precisa pensar em dar continuidade ao trabalho do Eduardo (Baptista) e do Umberto (Louzer) para, ao longo do trabalho, implantar nossa filosofia. Temos que valorizar o legado que esses profissionais deixaram aqui – expõe.

Reforços

Durante a coletiva de apresentação, Marcelo Cabo foi questionado várias vezes sobre reforços, principalmente para a posição de centroavante. Para esta função, o treinador foi peremptório ao descartar especulações sobre os nomes de Júnior Viçosa e Moisés. O comandante ressalta que tem papel importante nas contratações, mas a palavra final é da direção colorada.

– Todo o departamento de futebol vai sentar, analisar e tomar decisão em conjunto. A responsabilidade técnica é minha, mas a palavra final é do presidente e da diretoria. O Ecival e o Sidiclei estão perdendo o sono há muito tempo tentando encontrar um camisa 9 – destaca.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE