Três atletas goianos vão disputar o Parapan-Americano de Tiro com Arco

Foto: Fegotarco/Divulgação
Anúncios

Três atletas goianos estarão entre os representantes do Brasil no IV Parapan-Americano de Tiro com Arco, em Monterrey, no México, em data a ser divulgada pela organização, devido a pandemia do COVID-19, coronavírus.

A Federação Goiana de Tiro com Arco (Fegotarco) confirmou que Jane Karla, Andrey Muniz e Hélcio Perilo foram selecionados na seletiva, que aconteceu nos dias 13 a 15 de outubro de 2019.

Mais dos Esportes Olímpicos:
Vídeo: Analista de desempenho da Fegoju prevê bons resultados no Brasileiro
Esportes Olímpicos do Vila terão investimento de R$ 500 mil

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em entrevistas ao Esporte Goiano, o trio goiano contou sobre suas trajetórias na modalidade, além de comentarem sobre a expectativa para a disputa em Monterrey, que vale vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Dos games para o mundo real: o encanto pela arqueria

Andrey Muniz começou a praticar o Tiro com Arco, inspirado em um jogo de RPG chamado Line Age II, no qual o seu personagem era um arqueiro. Aos 43 anos, vive a expectativa de disputar o Parapan-Americano e brigar por uma vaga em Tóquio, já que esteve presente nos Jogos Paralímpicos do Rio em 2016.

“As expectativas são sempre grandes, tanto para um pódio, quanto para conquistar uma vaga para Tóquio. Tenho uma boa bagagem de experiência em combates que podem me levar a conquista de uma vaga para o país”, afirmou.

De acordo com Andrey, ele não está na sua melhor forma, pois em setembro do ano passado, três dias antes de viajar para a disputa do Mundial da Holanda sofreu um corte profundo no dedo da mão esquerda – mão que uso para segurar o gatilho.

“Eu atirei o Mundial com um gatilho de punho emprestado de um amigo da equipe, diferente do meu habitual de mão, onde esse gatilho não forçava o dedo cortado e consegui obter o índice que me daria o direito de conquistar uma vaga. Esse corte atingiu um nervo comprometendo meus tiros e tempo de treino, mas tenho uma boa bagagem”, frisou o atleta.

Do Tiro Esportivo para o Tiro com Arco: o amor pelo esporte

Hélcio Perillo era praticante de Tiro Esportivo Paralímpico na categoria carabina R1, porém há três anos ficou conhecendo o Tiro com Arco e se apaixonou pela modalidade.

“Antes eu fazia tiro esportivo onde me sagrei campeão brasileiro por três anos consecutivos na categoria carabina R1. Fui conhecer o Tiro com Arco e me apaixonei pela modalidade. Atualmente sou tricampeão brasileiro na categoria composto W1, medalha de bronze em Dubai, medalha de ouro no México, medalha de prata na Colômbia, medalha de prata nos EUA”, afirmou.

Aos 51 anos, Hélcio é o atual recordista brasileiro na Categoria W1 Masculino, e ostenta a alcunha de ser o maior atleta da categoria no país. Às vésperas de disputar um torneio, que pode lhe dar uma vaga nas Paraolimpíadas de Tóquio, o atleta comentou a respeito da expectativa.

“Tenho uma grande expectativa de conseguir vencer o Parapan-Americano no México agora em março e consequentemente conseguir a tão sonhada vaga para as Paraolimpíadas de Tóquio. Estou em um ritmo intenso de treinos diariamente e me considero preparado para representar o Brasil neste tão grandioso evento esportivo”, declarou Hélcio.

Do Tênis de Mesa para o Tiro com Arco: a descoberta de um novo esporte

Jane Karla disputava tênis de mesa, onde conquistou cinco medalhas de ouro em Parapan- Americanos e participou de duas Paraolimpíadas (Pequim 2008 e Londres 2012). Porém, no ano de 2015, a atleta decidiu mudar de esporte, para ficar junto da família.

“Eu era uma das atletas no tênis de mesa com vaga já garantida para Toronto (para os Jogos Parapan-Americanos de 2015). Então eu tinha chance para o Rio 2016. Mas a confederação queria que eu mudasse de cidade, que deixasse minha família e fosse para São Paulo. E isso pesou muito, porque passei por momentos difíceis com a minha família. Eu tive um câncer de mama e então a gente sofreu, a família toda. Então eu decidi não abandonar a minha família. Aí eu desisti de um esporte por amor à família e fui procurar um outro que tivesse lá na minha cidade e que eu pudesse fazer”, nos contou Jane.

Foi então, que ela descobriu o Tiro com Arco e se encantou com o esporte, desde 1º de janeiro de 2015 se dedica integralmente. Tendo participado do Parapan-Americano de Toronto e dos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Aos 44 anos, Jane vive a expectativa de disputar a quarta Paraolimpíada de sua carreira, pois no ano passado terminou em sexto lugar no Campeonato Mundial da modalidade, que foi disputado em Hertogenbosch, na Holanda.

O Parapan-Americano de Tiro com Arco será uma oportunidade para a atleta treinar e conhecer alguns dos adversários, que poderão estar em Tóquio. Porém, Jane quer voltar do México com medalhas.

“A expectativa no Para Pan-americano é muito grande e espero trazer um resultado bem bacana do México, e se Deus quiser, conquistar uma medalha”, afirmou.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE