“Não sabem perder”, critica Mortosa após episódio de violência no clássico

Anúncios
(Foto: Paulo Marcos/ACG)

Após a vitória e classificação do Atlético, ao bater o rival Vila Nova por 1 a 0, a confusão se instaurou. De acordo com a súmula do clássico, o início do entrevero veio por parte de Keké, atacante do Tigre, que provocou o banco de reservas atleticano. O supervisor de futebol do Dragão, Júnior Mortosa, tomou as dores da situação, ainda com a partida em reta final, e discutiu com o jogador dos adversários. Após todo o desenrolar da situação, o membro da diretoria rubro-negra reprovou a postura colorada no Accioly.

“Eles têm futebol. Mas aqui dentro não tiveram condições de fazer isso. Quando eles jogaram, criaram dificuldades para gente, colocaram bola na trave. Mas na hora que eles passaram a catimbar, virou essa bagunça. Não sabem perder. Têm que aprender. O time tem que aprender a perder. Quanto tempo ficamos fora de chegar às finais com o Atlético? E soubemos perder. Saímos, trabalhamos nossa equipe para a Série B e conseguimos o título. No futebol, existem três possíveis resultados. E a derrota dói, mas tem de saber encará-la com profissionalismo, como um homem sério e pai de família”, afirmou.

Wagner Lopes não vê mancha em classificação: “É feio para quem tomou a iniciativa”!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O membro da comissão atleticana também relatou o caso envolvendo o fotógrafo do time rubro-negro, Paulo Marcos. O encarregado pelas fotos no Dragão, foi agredido e levado ao hospital com suspeita de fratura na perna direita, no entanto sofreu apenas uma luxação.

“Quem conhece o Paulo Marcos sabe da índole desse rapaz. Não tem coragem de agredir ninguém. Aí o cara vem, covardemente, sai lá do banco de reservas e dá uma voadora na perna dele. Me parece que foi, não posso acusar, o preparador físico. Não sei o nome dele e nem quero saber o nome desse mau profissional desses”, disse Mortosa.

Após a confusão, quatro integrantes do Tigre, incluindo o preparador físico Renan Lima, e quatro do Dragão, contando com Júnior Mortosa e o segurança do clube Marcelão, foram encaminhados à Central de Flagrantes da Polícia Civil. Paulo Marcos, fotógrafo do Atlético, foi encaminhado ao hospital ontem e já está em recuperação na sua residência.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE