5.6 C
New York
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
InícioQuadraHandebolEmbaixadora busca apoio para ampliar alcance do mini-handebol em Goiás

Embaixadora busca apoio para ampliar alcance do mini-handebol em Goiás

Nomeada embaixadora do mini-handebol em Goiás no ano passado pela Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), Elhise Santos tem o árduo trabalho de desenvolver a modalidade no estado. Ela, porém, já promove ações nesse sentido há tempos e, inclusive, é uma das principais treinadoras goianas na atualidade.


Elhise, que jogou por duas décadas pela Força Atlética, tem duas escolinhas, uma no Sesi Ferreira Pacheco e outra no Clube de Engenharia, ambas em Goiânia, que atendem crianças de 7 a 10 anos de idade.

Mais do handebol
Veja os resultados dos Jogos Abertos de Goiás

- Anúncio -

As duas escolinhas não funcionam como projeto social, mas a ideia da embaixadora é ampliar seu trabalho para atender em escolas públicas. “Tenho interesse, só preciso de apoio, de pegar escolas públicas também. Também preciso parceria de quadra para meninas de cadete e juvenil”, disse ao EG. Ela reforça que faltam quadras para conseguir dar treinos e ampliar a captação de atletas. Por isso, tenta auxílio da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer (Seel).

Como embaixadora, Elhise também tem tentado encontrar profissionais por todo o estado que desenvolvam o mesmo trabalho. A ideia é formar uma rede de apoio e divulgação do mini-handebol em Goiás.

“O principal papel é divulgar o mini-handebol, achar professores que tenham interesse em trabalhar com a modalidade no estado de Goiás. Descobrir quais lugares no estado já trabalham. Nós, como embaixadores, precisamos correr atrás dos professores. Tive que entrar em contato com os professores e repassar material que a confederação manda. O projeto é muito novo e tudo isso está sendo organizado”, reforça a treinadora.

Entre as conquistas mais recentes está a inclusão de um festival mirim no calendário da Federação Goiana de Handebol (FGHb). “Estamos movimentando. Vamos valorizar e melhorar o handebol aqui no estado. Se (os atletas) começarem mais cedo, vão se dedicar e se apaixonar mais pelo esporte”, frisou.

Acompanhe o EG também nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.
Rafael Tomazeti
Jornalista formado pela Universidade Federal de Goiás. Fã de esportes e apaixonado pelo estado de Goiás. Trabalhou na Rádio Universitária 870 AM, TV UFG, Rádio 730/Portal 730, Jornal Diário do Estado, Diário de Goiás e Rádio BandNews.
Anúncio

Últimas

Anúncio
error: Este conteúdo é protegido por direitos autorais!
P