5.6 C
New York
sábado, janeiro 23, 2021
Início Futebol Atlético Em ano vitorioso em campo, Dragão decepciona nas arquibancadas

Em ano vitorioso em campo, Dragão decepciona nas arquibancadas

Em contrapartida ao excelente desempenho do time em campo na temporada 2019, a torcida do Atlético não obteve grandes números nas arquibancadas. Apesar do acesso na Série B, o Dragão teve a sexta pior média de torcedores pagantes. No total do ano, 96.309 pessoas para aos 29 duelos atleticanos, seja no Accioly ou Olímpico, garantindo 3.321 rubro-negros por jogo. Isso representa a 42ª posição nacionalmente.

Mais do Dragão:
-> Renato Kayzer tem retorno encaminhado

Com média de 3.098 pagantes no Antônio Accioly, a torcida rubro-negra só levou mais gente ao estádio que Oeste, São Bento, Vila Nova e Brasil de Pelotas. A curiosidade é que todos eles terminaram na parte de baixo da tabela. Colorados e Azulão Sorocabano, inclusive, foram rebaixados à Série C.

No Goianão, o time levou a taça, mas os rubro-negros ficaram em quarto no ranking das torcidas, atrás de Goiás, Vila Nova e Anapolina. A média do Atlético foi de 3.100 pagantes, ainda acima dos números da Série B.

Apesar das estatísticas ruins, a torcida atleticana mostrou sua força quando a mobilização foi grande. Na Copa do Brasil, diante do Santos, 9.556 pessoas pagaram ingresso para ver a vitória goiana por 1 a 0.

Ocupação

O Atlético utilizou o Antônio Accioly em quase todos os jogos como mandante. A exceção foi a final do Goianão, diante do Goiás, quando ambos os clubes jogaram no Olímpico. Pela baixa capacidade das praças, a média de ocupação foi alta. No geral, em 29 jogos, os rubro-negros encheram 63% do estádio.

-> Goiás terminou 2019 com média superior a 9 mil pagantes

Na Série B, com 61%, o Dragão teve a média de ocupação mais alta. O vice-líder nesse quesito foi o Coritiba, com 55%. Em terceiro e bem distante ficou o Sport, com 39%.

Arrecadação

Em todo o ano, o Atlético arrecadou R$ 1.543.120 com bilheteria, em valores brutos. No Goianão, foram R$ 390.590 com venda de ingressos, que saíram com preço de R$ 13 cada. Esse valor subiu para R$ 16 no Brasileirão, que rendeu R$ 940.345 em tíquetes ao Dragão.

A maior renda do ano foi contra o Santos, no duelo da Copa do Brasil. Na ocasião, o jogo, que teve ingressos esgotados, rendeu R$ 212.185 aos cofres atleticanos.

Rafael Tomazeti
Jornalista formado pela Universidade Federal de Goiás. Fã de esportes e apaixonado pelo estado de Goiás. Trabalhou na Rádio Universitária 870 AM, TV UFG, Rádio 730/Portal 730 e Jornal Diário do Estado.
Anúncio

Últimas

Du Gaia deixa Goiânia e acerta com o Goianésia

O imbróglio envolvendo o atacante Du Gaia e o Goiânia chegou ao fim. O atacante acertou sua saída do Galo e já tem casa nova: vai defender o Goianésia na temporada 2021.

Em busca do Tri, Vila Nova recebe o Remo pelo jogo de ida da final da Série C

Neste sábado (23), às 17h, Vila Nova e Remo, no Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA), dão início a decisão do título da Série...

Em casa, Vila Nova estreia na Superliga B 2021

O Vila Nova começa neste sábado (23), às 18h, sua caminhada na Superliga B 2021. Recém-promovido à segunda divisão, o Tigre recebe...

Na semana 2 do CBLoL, Rensga encara campeões em má fase

A Rensga volta à ativa neste fim de semana para a semana 2 do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). Nos...

Vila Nova aposenta camisa 12 e lança uniforme em homenagem à torcida

O Vila Nova anunciou nesta sexta-feira (22) que a camisa 12 foi aposentada pelo clube colorado. A aposentadoria do número é uma...
Anúncio