Após ano ruim, Rednecks quer melhorar estrutura para voltar forte em 2018

Caveiras tentam parceria para ter local fixo de treinamento e retomar intensidade das atividades. Novas seletivas e busca por reforços também marcam pré-temporada

Foto: Vitor Monteiro/Esporte Goiano
Anúncios

2017 não foi o melhor ano para o Goiânia Rednecks. Depois de chegar aos playoffs da antiga Superliga Nacional em 2016, os Caveiras esperavam brigar pelo título da Conferência Centro-Oeste na reformulada BFA.

Os goianos até chegaram à pós-temporada, mas a campanha foi aquém dos esperado. Nos quatro jogos da temporada regular, os Rednecks conquistaram apenas um triunfo. O rebaixamento para a Liga Nacional (LNFA) foi evitado pela vitória contra o Campo Grande Predadores.

– Foi uma temporada bem atípica. Não treinamos bem. Os treinos não foram intensos. Tivemos uma logística muito ruim. Não temos local de treinamentos fixo e isso pesou bastante no campo – justifica o head coach Igor Oliveira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro complicador, de acordo com o comandante, foi a perda de jogadores. “Perdemos a defesa quase toda e peças importantes no ataque”, lamenta. Entre as principais ausências em relação a 2016 está a do tight-end Carlos de Paiva Costa, o Texugo, que deixou Goiânia para atuar pelo Timbó Rex-SC.

Fé no futuro

Os Rednecks acreditam que os percalços da temporada 2017 podem servir de aprendizado para 2018, principalmente fora de campo. A equipe busca melhorar questões estruturais, especialmente a logística. Para isso, parcerias estão sendo negociadas e os Caveiras tentam acerto para usar o campo da Saneago como local de treinos. “Não há muitos outros com iluminação, que comporte nossa equipe e seja viável financeiramente”, explica Oliveira.

Mais do futebol americano em Goiás

Dentro de campo, a aposta é na safra de garotos recrutados na seletiva realizada em janeiro. “Recrutamos muitos bons atletas. Vamos manter a base da equipe. Um ou outro acaba saindo, mas manteremos grande parte do time”, comenta o técnico.

Os Rednecks também vão atrás de reforços para o próximo ano, principalmente para a defesa. A parceria com a Universo, que garante bolsa de estudos aos atletas, está mantida e isso deve facilitar a busca por novas peças. Além disso, novas seletivas serão realizadas no decorrer da temporada, com a primeira prevista para o fim de janeiro ou início de fevereiro.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE