Mantido como técnico, Picinin diz que planejamento para 2020 já começou

Foto: Igor Nery/Esporte Goiano
Anúncios

A correria na formação do elenco e o pouco tempo de preparação foram vistos pelos diretores do Anápolis Vôlei como o principal motivo para a não conquista do acesso à Superliga A já neste ano. Para o ano que vem, no entanto, o planejamento deve ser bem diferente.

O técnico principal, por exemplo, já está definido. Ao Esporte Goiano, o atual treinador, Ricardo Picinin, com experiência de 16 temporadas na elite do vôlei, informou que permanecerá no cargo para a Superliga B de 2020.

O comandante do Lobo-Guará afirmou que a direção inclusive já estuda e monitora o mercado para formar um elenco ainda mais forte. “O projeto terá continuidade e já estamos nos movimentando para a montagem da equipe. Queremos um grupo com o mesmo perfil (de 2019), com atletas comprometidos e determinados”, detalhou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Levantador elogia torcida: “Foram sensacionais”

Alguns jogadores que integraram o elenco auriazul nesta temporada interessam, mas os nomes não foram confirmados. Os ponteiros Leandrão e Léo Birigui e o levantador Paulo Renan foram os principais destaques. Leandrão, o gigante de 2,17m, se tornou um grande ídolo da torcida anapolina.

Para não repetir os erros de 2019, o Anápolis cogita participar de torneios amistosos pelo Brasil para ter maior tempo de preparação e assim entrosar mais a equipe, além de reduzir as oscilações durante a temporada.

Balanço

Apesar da frustração pela queda nas semifinais, o Anápolis tira um saldo positivo da primeira temporada de existência. De acordo com Ricardo Picinin, o início mostra um futuro promissor.

–  O balanço foi positivo. A equipe conseguiu a terceira colocação, apesar do pouco tempo de preparação – destacou.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE