Herói olímpico, Claudinei Quirino comenta dificuldades na carreira e elogia Corrida de Rua de Anápolis

Anúncios

A 8ª e última etapa da Corrida de Rua de Anápolis foi realizada na noite do último sábado, 15, com largada no ginásio Internacional Newton de Faria. A última etapa do circuito anapolino foi especial para quase 4 mil competidores e a sociedade local.

Isso porque, um pouco antes do início da prova, o herói olímpico Claudinei Quirino realizou a palestra ‘Vidas no Esporte’, onde contou sua trajetória no atletismo. Acompanharam Claudinei: o presidente da Federação Goiana de Atletismo, Genivaldo José Caixeta, e o secretário municipal de Esportes, Karin Abrão.

Em entrevista ao Esporte Goiano, Claudinei Quirino falou sobre o início da carreira, as dificuldades que encontrou para ser atleta, e ainda elogiou a Corrida de Rua de Anápolis. Claudinei comentou da expectativa de ser ouro na competição que foi prata, em Sidney 2000, já que Tim Montgomery confessou ter se dopado antes das Olimpíadas naquela ocasião. Tim recebeu um pedido do Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC) para devolver voluntariamente a medalha de ouro do revezamento 4x100m.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A equipe brasileira que disputou a prova foi formada por Claudinei Quirino, Vicente Lenílson, André Domingos e Edson Luciano.

Veja a entrevista abaixo:

Conquistas: Dentre as mais importantes, Quirino foi prata olímpica no revezamento 4×100, em Sidney 2000. Também foi bronze nos 200m no Mundial de Atletismo de Atenas, em 1997, além da prata, nos 200m e o bronze, no 4x100m, em Sevilla. Conquistou o ouro nos 200m rasos nos Jogos Pan-Americanos de 1999, em Winnipeg.

Comentários

comentários

PUBLICIDADE