Murilo Nascente: Se a primeira impressão é a que fica, o torcedor colorado pode começar a comemorar 2017

0
1039
No primeiro amistoso, Vila apenas empatou mas mostrou ótima absorção tática (Foto: Murilo Nascente)

Desde o anúncio de Mazola Jr. para ocupar o cargo de comandante técnico, ficou bastante claro que as coisas mudariam no Vila Nova em 2017. De saída um treinador jovem, mas à velha moda, no estilo “treinador paizão”, para a chegada de um técnico mais “linha dura”, disciplinador e que respalda seu trabalho no conhecimento e obediência tática.

Guilherme Alves mostrou competência no seu trabalho em campo, montou um time conciso e bem regular, mas talvez tenha se destacado mais pelo extra-campo. Explosivo nas entrevistas, 100% autêntico e aberto no trato com a imprensa e com seus jogadores. Cativou todo mundo por isso e conseguiu obter sucesso em um clube “dinamite” para treinadores.

Mazola chegou num estilo completamente diferente. Respeitoso, mas muito sério e de poucas palavras. Vai em busca de cativar o grupo de jogadores pelo seu conhecimento em campo, não pelo relacionamento. E o que deu pra ver nesses primeiros dias, e que ficou bastante claro no primeiro amistoso contra o Uberlândia, foi um resultado muito positivo, que mostra que o treinador vem conseguindo trazer o grupo para si.

No empate por 1 a 1 o que menos importou foi a falha defensiva no segundo tempo que acabou originando o empate do Uberlândia com o grandalhão Schumacher. Durante toda a partida, mesmo após inúmeras substituições, o Vila Nova não saiu do seu papel. Conseguiu traduzir em campo tudo que o treinador esperava e com uma eficácia surpreendente para quem tem apenas 13 dias de trabalho.

Do 5-4-1 de Guilherme Alves para o 4-3-3 de Mazola. Uma mudança radical no sistema de jogo mas que vem demonstrado que pode ser um bom caminho para o Tigre em 2017. Apostando na marcação alta, pressão na saída de bola do adversário já com os atacantes, o esquema de Mazola deu muito certo nesse primeiro teste. Menções honrosas aos atacantes Wallyson e Ruan, que posicionados lateralmente, entenderam bem seus papéis defensivos e foram os líderes de roubadas de bola do time colorado.

PH, com a camisa 5, surpreendeu positivamente também ao ter um papel importante na segurança para os jovens Luisão e Brunão, estreando na zaga profissional do Vila. Jonathan, na esquerda, não comprometeu na marcação e apareceu bem ao ataque, inclusive, iniciando a jogada para o belo gol de Ruan, torpedo de fora da área no ângulo direito do goleiro adversário.

Foi apenas o primeiro jogo, eu sei, mas a primeira impressão desse novo formato do Vila Nova foi bastante animador. Tanto no trabalho do Mazola quanto no desempenho dos jogadores. Os nomes que chegaram desconhecidos ao torcedor deram provas que merecem a confiança para mostrar se potencial e o grupo deu sinais claros de que entende e aprova muito bem as ideias de Mazola Jr.

Esse 1 a 1 contra o Uberlândia pode ter sido o início de um belo casamento entre Mazola Jr., elenco e torcedores do Vila Nova. As primeiras impressões dão sinais positivos, mas se realmente tudo isso vai dar certo como pareceu que pode dar, só o tempo dirá.

Comentários

comentários