Com ginásio lotado, Jaó vence clássico quente contra o MonteCristo

Primeiro jogo das quartas de final da Superliga B foi marcado por muitas reclamações e bom nível técnico.

6
648
(Foto: Vitor Monteiro/Esporte Goiano)

O primeiro jogo das quartas de final da Superliga B entre MonteCristo e Jaó teve tudo que se espera de um clássico: grandes jogadas, reclamações, emoção e bom nível técnico. Além disso, vale destacar a torcida, que lotou completamente a Arena MonteCristo, na Cidade Jardim, e participou intensamente do confronto. Muitas pessoas, inclusive, foram embora por conta dos ingressos terem esgotado.

Veja como foi o tempo real desse jogão!

No fim das contas, o Jaó levou a melhor e venceu por 3 sets a 1, parciais de 25-19, 23-25, 25-18 e 25-21. Com isso, o time de Hítalo Machado fica a uma vitória de garantir vaga nas semifinais. O segundo duelo será disputado às 20h30 de sexta-feira, no Ginásio do Colégio Santo Agostinho, no Centro.

1º set

Os dois times cometeram muitos erros no início do duelo. Os atletas da casa mostraram nervosismo e deram muitos contra-ataques. E quem tem acompanhado a Superliga B sabe que, com a bola na mão, o levantador Fabiano faz a diferença. Dessa forma, o Jaó conseguiu abrir vantagem no meio do set: 14-8 e depois 18-11. Com tranquilidade e trocas de pontos, fechou a parcial em 25-18, em 23 minutos.

2º set

O segundo set foi bastante equilibrado. Com os atletas das duas equipes com os nervos a flor da pele, a partida pegou fogo. Enquanto Fabiano acionava os atletas mais experientes, como Vivalde e Lucão, o MonteCristo contava com a consistência de Felipe Chagas. Apesar do nervosismo, Cristiano foi peça fundamental para o time azul-negro.

Quando o placar estava empatado em 17-17, Gladstone conseguiu uma boa sequência de saques, abrindo dois pontos de vantagem para os mandantes. Com as duas equipes errando saques e trocando pontos em disputas, a diferença foi fundamental para o Moc fechar a segunda parcial. O ponto decisivo veio após um rally equilibrado, que terminou com Hudson Rocha explorando o bloqueio adversário: 25-23 em 30 minutos.

3º Set

Novamente, o duelo foi equilibrado. Ao menos, até a metade do terceiro set, quando Felipe “entrou” no jogo. Apesar da ótima participação de Hudson Rocha, a defesa do Jaó mostrou consistência e passou a dar a bola na mão de Fabiano, que mostrou inteligência na distribuição de bolas. Revezando entre Lucão e Felipe, conseguiu confundir a marcação adversária. Em 28 minutos, o placar foi de 25-18.

4º set

O Clube Jaó/Universo gastou 27 minutos para confirmar a vitória no 4º set e, consequentemente, no confronto. A força mental e a qualidade técnica fez a diferença a favor dos visitantes, que conseguiu abrir vantagem na metade da parcial: de 13-15 virou 13-18. A margem deu ainda mais segurança para o Jaó, que contou com um inspirado Renan. O atleta transformava em pontos todas as bolas que era acionado.

O MonteCristo ainda reagiu na reta final, conseguindo três pontos consecutivos. Porém, após tempo solicitado por Hítalo Machado, Murylo sacou para fora e o confirmou o triunfo adversário por 25-21.

 

Comentários

comentários