Com boa expectativa, delegação goiana embarca para Jogos Sul-Americanos Universitários

Estado de Goiás leva 30 atletas para torneio continental em Bogotá, na Colômbia. Competidores do rugby, futsal e tênis esperam conquistar medalhas para o Brasil

0
120
Foto: Vitor Monteiro/Esporte Goiano

Goiás terá uma delegação de peso nos Jogos Sul-Americanos Universitários. Nesta segunda-feira, 18, os 30 goianos que representarão o Brasil de 19 a 26 de setembro, viajaram para Bogotá, cidade-sede da competição.

De acordo com o presidente da Federação Goiana de Desporto Universitário (FGDU), Lusimar Santos, Goiás está na frente dos outros estados. “Nenhum outro Estado vai enviar mais atletas que nós”, afirmou.

A delegação goiana é composta por atletas do rugby masculino, futsal feminino e tênis. No rugby, o time da Universidade Federal de Goiás (UFG) representará o Brasil. A equipe conquistou a vaga por ter vencido a Liga do Desporto Universitária (LDU), tanto neste ano quanto em 2015. Para o atleta e diretor de projetos do UFG Rugby, Bruno Porto, os goianos têm chance de surpreender. “A expectativa é muito positiva, até pelos resultados dos últimos anos”, disse em entrevista ao Esporte Goiano.

Parceria tríplice

Para ir aos Jogos Sul-Americanos, o time de rugby da UFG, que levará uma delegação composta por 15 pessoas, precisou de uma parceria composta por três frentes: o apoio da própria universidade, do governo do Estado e da iniciativa privada, esclareceu Bruno. Além disso, a Federação Cerrado de Rugby viabilizou 16 passagens aéreas para a modalidade.

– A principal dificuldade é financeira. Essa conjuntura esportiva nacional privilegia o esporte de alto rendimento, enquanto nas universidades públicas priorizamos a participação. Tanto é que a modalidade que estamos levando agora ainda não é tão popular e enfrentamos dificuldades de conseguir patrocinadores. É um pioneirismo muito bem visto, já que nós, uma universidade pública, iremos competir com universidades particulares – detalhou o coordenador de esportes e lazer da UFG, Juraci Guimarães.

Mais do rugby goiano

Foto: Vitor Monteiro/Esporte Goiano

Em campo, os goianos enfrentarão argentinos e colombianos, que têm um forte programa de rugby. Esta será a primeira competição internacional dos atletas e a ansiedade é inevitável. A tarefa de acalmar os ânimos da turma é do baiano Bruno Freire, treinador do UFG Rugby há dois anos. “É tudo novo para todos nós, então estamos um pouco nervosos e ansiosos”, admitiu o técnico, que, apesar dos desafios, não abre mão de medalhas. “A expectativa é de lutar por um lugar no pódio, com o time bem dedicado, bem entrosado e muito bem preparado”, completou.

Nas quadras

A bandeira brasileira nas quadras será carregada pelas goianas do Araguaia. Nove atletas, sendo cinco sub-20, estarão em terras colombianas buscando medalhas para Goiás. “É um sonho, uma honra representar Goiás e o Brasil. Todas estão um pouco ansiosas para chegar logo o momento de entrar em quadra”, contou a ala-pivô Lorena Peres.

O time, que recebe incentivo da universidade através do bolsa-atleta, é comandado pela ex-atleta catarinense Daniela Dallago. Experiente, a treinadora integrou a comissão técnica da seleção brasileira no Mundial de Futsal Universitário, realizado em Goiânia e Anápolis.

– Fomos convidadas a participar do torneio em função do histórico no cenário universitário e nacional. É um fato histórico levar uma equipe toda goiana a participar do Sul-Americano, que é todo disputado por Seleções – ressaltou Dallago.

Mais do futsal em Goiás

Com três títulos nacionais universitários, a técnica aposta na preparação para superar desafios. Segundo ela, as atletas treinam durante todo o ano, quatro vezes por semana. “As meninas estão preparadas para fazer o melhor e colocar tudo que vem sendo construído na história do time, que conquistou três títulos em cinco anos no cenário universitário”, disse Dallago.

Também nas quadras Goiás será representado por Eduardo Felter no tênis masculino. O atleta é estudante da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC) e garantiu vaga devido ao ranking. “Espero trazer bons resultados ao Brasil”, disse Felter à assessoria da Seduce.

Comentários

comentários