Alex Rodrigues: O que falta é bola na rede!

0
133
Foto: Assessoria do Atlético / Divulgação

Esperei três rodadas do Campeonato Goiano para poder voltar a falar sobre o atual elenco atleticano. Apesar de ter perdido para Vila Nova e Goiás gostei da postura rubro-negra, principalmente no jogo de ontem no Serra Dourada. Uma variação muito grande na criação de jogadas ofensivas, com o lateral direito Daniel Borges aparecendo bem pela direita, Wanderson na esquerda e Willians carregando a bola com perfeição no meio-campo.

O detalhe negativo para as primeiras atuações do Atlético nesse ano, e que talvez seja o principal, são os erros excessivos nas finalizações. Contra o Vila Nova o Dragão criou pelo menos três oportunidades claras de gol e desperdiçou, ontem teve chance de fazer pelo menos dois gols no Goiás na primeira etapa, e no segundo tempo só o Atlético atacou.

Júnior Viçosa e Jorginho que no ano passado foram protagonistas na campanha do título atleticano na série B do Campeonato Brasileiro, esse ano ainda não engrenaram. O meio-campista vem recebendo muitas oportunidades de finalização, mas a precisão ainda não é a mesma de 2016. Viçosa tem demonstrado um lado guerreiro nesses primeiros jogos, com muita entrega e vontade, mas o Dragão precisa nesse momento acima de tudo, do Júnior Viçosa artilheiro, como foi em 2014.

Em três jogos disputados já podemos perceber que pelo menos quatro jogadores irão reforçar bem o time atleticano na série A. O lateral direito Daniel Borges, o zagueiro e capitão Roger Carvalho, o lateral esquerdo Wanderson e o meia Willians. Outros atletas contratados ainda não demonstraram o esperado, como o volante Abuda, que já passou por grandes clubes, e o meia Alípio, que é muito eficiente na bola parada, mas com ela rolando ainda não mostrou tudo que sabe.

Não gosto de algumas mudanças que o treinador atleticano faz durante as partidas. Ele vem utilizando o fraquíssimo Daniel dos Anjos como primeira opção do banco para o ataque, quando penso que o Edson Júnior mereça essa condição. Ontem no clássico contra o Goiás ele tirou o Wanderson, que mesmo muito cansado era um dos melhores jogadores em campo. Nos minutos finais e em desvantagem no placar, ele trocou Bruno Pacheco por Jonathan, um lateral por outro, podendo ser ousado e colocar mais um atacante.

Pra fechar, o técnico Marcelo Cabo demonstrou que sabe trabalhar bem a questão tática de uma equipe. Do que vimos nos jogos amistosos para o jogo de ontem, o time cresceu bastante, conseguindo se comportar de forma mais organizada para defender e atacar. O Atlético evoluiu fisicamente também, correndo bem os 90 minutos. O time tem pela frente quatro jogos consecutivos em casa, e é nessa sequência que o Dragão deverá se firmar de vez dentro da competição. CRAC, Itumbiara, Vila Nova e Iporá serão os adversários.

Comentários

comentários